Basílica de São Marcos

Autor: 
Jerry Camarillo Dunn Jr.

Seu interior sombrio e misterioso reluz com tesouros - mosaicos dourados, mármores coloridos, esmeraldas e pérolas -, fazendo da Basílica de São Marcos uma das catedrais mais gloriosas e exóticas da Europa. Em razão de seu estilo bizantino e das riquezas que Veneza saqueou de Constantinopla, a Basílica foi chamada de "covil dos salteadores dourados, a única igreja da Cristandade que não ficaria deslocada em Xanadu".

Em sua maioria no estilo bizantino, o projeto da Basílica de São Marcos foi inspirado na Basílica dos Apóstolos em Constantinopla.
Shutterstock
A igreja mescla os estilos decorativos do Oriente e Ocidente numa fantasia asiática
de cúpulas, mosaicos, jóias reluzentes e entalhes

Consagrada em 1094, a basílica é de fato o templo sagrado de Veneza. Abaixo do altar superior estão os restos mortais de São Marcos. Esses ossos foram saqueados em 828 do túmulo em Alexandria, Egito.

Veneza declarou São Marcos padroeiro da cidade e conservou seus ossos na Basílica anterior, que ficava no mesmo lugar. Quando foi destruída pelo incêndio ocorrido em 976, os restos mortais de São Marcos foram considerados perdidos. Dizem, entretanto, que no século 11 o evangelista apareceu milagrosamente durante uma missa realizada na Basílica, empurrando um pilar.

Essa construção foi projetada como uma cruz grega, com cinco grandes cúpulas e cinco arcadas na entrada. Seu tesouro mais famoso fica atrás do altar do santuário - o Pala d'Oro, um altar dourado cravado de jóias. Construído em Constantinopla para o doge em 976, foi mais tarde adornado pelos ourives venezianos. Dentre os tesouros da Basílica estão mais riquezas, antes saqueadas de Constantinopla, que com o passar dos anos foram diminuindo em quantidade por causa dos roubos e das vendas para levantar fundos.

O museu da igreja abriga um conjunto de quatro cavalos em bronze que por séculos permaneceram como "guardiões" no alto da Basílica, considerados símbolos de Veneza e de seu poder sem limites. Em razão do perigo gerado pela poluição dos tempos modernos, eles foram transferidos para o interior do local e réplicas foram colocadas em seus lugares. Os cavalos pareciam tão verdadeiros que Petrarca esperava que eles "relinchassem e cavalgassem". Espólio da Quarta Cruzada em 1204, dizem que o conjunto é proveniente do antigo hipódromo de Constantinopla.

A Basílica de São Marcos - com suas obras de arte que reluzem no crepúsculo permanente de seu interior - continua a encantar o mundo com o mesmo fascínio da lendária Xanadu.

SOBRE O AUTOR: Jerry Camarillo Dunn Jr., trabalhou com a Sociedade Geográfica Nacional por mais de 20 anos, começando como editor, escritor e colunista na revista Traveler e depois escrevendo guias de viagem. Seu último trabalho na National Geographic Traveler: San Francisco. Dunn’s Smithsonian Guide to Historic America: The Rocky Mountain States vendeu mais de 100 mil cópias. Seus artigos de viagem aparecem em jornais como Chicago Tribune e The Boston Globe. As histórias de Jerry Dunn ganharam três Prêmios Lowell Thomas da Sociedade dos Escritores de Viagem Norte-americanos, a mais alta honra na área. Ele também escreveu e apresentou um episódio piloto para um programa de viagem produzido pela WGBH, uma estação de televisão pública deBoston.