Estátua do Cristo Redentor

Autor: 
Jerry Camarillo Dunn Jr.

De braços abertos, como se abraçasse toda a cidade do Rio de Janeiro, dispersa embaixo em uma desordem espetacular - a estátua do Cristo Redentor pode ser vista de qualquer lugar da cidade.

The Christ the Redeemer statue watches over the city of Rio de Janiero, Brazil.
Após subir de carro ou pelo bondinho, visitantes devem subir a pé
mais de 200 degraus para alcançar a base da estátua

Como pedestal, a estátua tem a montanha de 704 m chamada de Corcovado. A figura do Cristo no topo se ergue com mais 30 m, seus braços têm uma extensão de mais ou menos 28 m de uma ponta do dedo a outra, pesando cerca de 700 tonelas.

O escultor francês Paul Landowski e sua equipe de artesãos ergueram a impressionante estátua para comemorar o aniversário de 100 anos da independência do Brasil de Portugal em 1822. Devido as restrições de orçamento, entretanto, o centenário trabalho artístico foi concluído quase uma década mais tarde, em 1931 e apenas com a ajuda do Vaticano. A lisa aparência contemporânea da estátua foi moldada em pedra sabão e concreto.

O Cristo Redentor figura a rivalidade com o Pão-de-Açúcar para ser o emblema da cidade dos cariocas. E seu local oferece uma visão sobre o Rio que é ainda mais espetacular que a do Pão-de-Açúcar, abrangendo as famosas praias de Copacabana e Ipanema, bairros residenciais, a baía e uma lagoa azul chamada Rodrigo de Freitas. O Corcovado está envolvido em uma reserva tropical onde há quedas de cachoeiras e borboletas voam por entre densas matas.

Pessoas que moram perto do Cristo Redentor gostam de subir e ver a estátua por uma estrada de ferro, cujo caminho para motores a vapor foi colocado na encosta da montanha em 1985. Durante o percurso de 20 minutos, o trem passa por túneis verdes folhados de árvores e oferece uma vista afastada da cidade brasileira de prazer e pobreza, carnaval e praias.

À noite, refletores poderosos iluminam a estátua do Cristo, fazendo-o brilhar e parecer que quase levita do pico escuro. De dia ou à noite, esteja onde você estiver na cidade do Rio, a estátua tem sua presença como um ícone.

 

 

 

SOBRE O AUTOR: Jerry Camarillo Dunn Jr., trabalhou com a Sociedade Geográfica Nacional por mais de 20 anos, começando como editor, redator e colunista na revista Traveler e depois escrevendo guias de viagem. Seu trabalho trabalho mais recente é na National Geographic Traveler: San Francisco. Dunn’s Smithsonian Guide to Historic America: The Rocky Mountain States vendeu mais de 100 mil cópias. Seus artigos de viagem aparecem em jornais como Chicago Tribune e The Boston Globe. as histórias de Jerry Dunn ganharam três Prêmios Lowell Thomas da Sociedade de Escritores de Viagem Norte-americanos - o maior prêmio na área. Ele também escreveu e apresentou um episódio piloto para um programa de viagem produzido pela WGBH, emissora pública de TV de Boston.