A Torre de Pisa

Autor: 
Jerry Camarillo Dunn Jr.

Quando a Torre de Pisa começou a inclinar, os italianos a apelidaram de Torre Pendente (torre inclinada)
Photodisc
A torre de mármore branco foi projetada como um complemento para a Catedral de Pisa

Um dos prédios mais conhecidos do mundo, com certeza, é a Torre de Pisa. Os turistas costumam ficar em frente da torre, inclinando-se e tirando fotos daquilo que, para eles, parece desafiar as leis da gravidade. Na verdade, as pessoas se divertem com a inclinação da torre há séculos.

Quando a construção desse campanário começou, em 1173, Pisa era um centro comercial no auge de sua força militar e de suas realizações artísticas. Para a vergonha dos moradores de Pisa, entretanto, sua torre de mármore branco começou a se inclinar antes de seu terceiro andar ficar pronto, em 1274.

Talvez o engenheiro Bonanno Pisano não tenha calculado as conseqüências de se construir uma torre de aproximadamente 56 m de altura em uma base rochosa de apenas 3 m de espessura, sendo que essa fina base estava sobre areia fofa, cascalho e argila - materiais que não dão sustentação suficiente para uma torre de 16 mil toneladas. Então, a estrutura começou com uma fixação irregular.

Apesar disso, a construção continuou. Para disfarçar a inclinação, os construtores fizeram cada andar um pouco mais alto no lado mais baixo, mas o material adicional só fez com que a torre afundasse mais. Quando foi terminada em 1350, a torre estava com 1,3m de inclinação e a 0,2 m da direção vertical.

Na parte superior do campanário, o peso dos sinos fez com que a estrutura se inclinasse ainda mais. No fim do século 20, a torre estava mais de 5 m inclinada para o sul e foi necessário iniciar uma operação de restauração. Engenheiros removeram solo de baixo da parte norte da torre para igualar as diferenças da base. Durante a restauração, os visitantes não podiam entrar na torre e subir as escadarias de 293 degraus em espiral até seu topo. A inclinação foi reduzida em mais de 4 m. Difícil de acreditar? O que mais você iria esperar de uma torre que fica em um lugar chamado pelos italianos de Campo dei Miracoli - o Campo dos Milagres?

SOBRE O AUTOR: Jerry Camarillo Dunn Jr., trabalhou com a National Geographic Society por mais de 20 anos, começando como editor, escritor e colunista na revista Traveler e depois escrevendo guias de viagem. Seu último trabalho na National Geographic Traveler: San Francisco. Dunn’s Smithsonian Guide to Historic America: The Rocky Mountain States vendeu mais de 100 mil cópias. Seus artigos de viagem aparecem em jornais como o Chicago Tribune e The Boston Globe. As histórias de Jerry Dunn ganharam três Prêmios Lowell Thomas da Sociedade dos Escritores de Viagem Norte-americanos, a mais alta honra na área. Ele também escreveu e apresentou um episódio piloto para um programa de viagem produzido pela WGBH, uma estação de televisão pública de Boston.